terça-feira, 19 de julho de 2011

Baú Aberto

Vazio do mundo


Tardes de agosto

Tardes tristes de inverno.

Final da estação.


A essas horas da tarde

Verdes folhas tangenciadas

Pela leve claridade


Folhas descoloridas

Caem, lágrimas

Das árvores.

O vento as agita

Melodiando uma sonata.


Falta alguém.

Para dar beleza à paisagem

Sentindo à minha vida

E tom a essa miragem.

03/08/03

2 comentários:

  1. Tem muito "Baú Aberto"... Freud explica.
    Adorei, parabéns!
    Dayanna

    ResponderExcluir